Abstract

Recomendações de S. Valentim 2019: Watashitachi no Shiawase na Jikan

O que devemos reter de uma relação

Infelizmente, uma relação, como todos já devemos ter passado, nem sempre acaba da melhor maneira e ficamos dias, semanas ou mesmo meses a pensar que o tempo gasto nela foi perdido. A meu ver isso, é o pior que pode acontecer porque entramos numa espiral de negatividade onde tentamos arranjar desculpas para cada imperfeição, tanto no parceiro como na própria pessoa. É por isto que nos devemos lembrar mais dos pontos altos de uma relação.

Como tal, recomendo-vos um excelente mangá que fala sobre isso mesmo, Watashitachi no Shiawase na Jikan, lançado em 2008, conta a história de Juri Mutou e de como esta encontrou a salvação para a sua depressão e tendências suicidas, causadas pelos abusos que sofreu quando era mais nova, numa conexão com Yuu, um prisioneiro condenado à morte pelo homicídio de três pessoas. Ao longo do mangá, podemos ver os desafios que os dois encontram e os opostos das suas situações.

O romance entre Juri e Yuu, o prisioneiro, desenvolve-se à volta das capacidades de Juri como pianista, ramo que envergou por influência da mãe, uma pianista de renome internacional que, após abandonar os palcos, tentou que a filha seguisse as suas pegadas, por qualquer meio necessário, o que levou a que a personagem principal sentisse um enorme desprezo por ela, culpando-a por tudo o que lhe aconteceu.

Com o desenvolver da história, podemos ver uma alteração dos sentimentos de Juri, que passa a apreciar cada momento em conjunto com Yuu, pois sabe que qualquer dia pode ser o último, uma vez que no Japão os prisioneiros sentenciados à morte não conhecem o seu dia de execução até à manhã desse dia. Esta situação faz Juri começar a aceitar o seu passado e a ver os lados positivos de cada momento.

Este mangá foi um dos que mais me marcou até agora. Leva uma pessoa a pensar sobre todas as suas interações de uma maneira diferente tentando sempre ter uma mente mais aberta, focando-se menos nos pontos negativos, uma vez que estes apenas levam a pensamentos negativos. Então para o próximo dia de São Valentim entra a pés juntos e pede àquela pessoa, para quem estás sempre a olhar e a pensar “se ele/ela soubesse…”, para irem jantar fora ou ir ver um filme.

Perdeste a primeira recomendação de S. Valentim? Vê aqui a publicação sobre Tsuki ga Kirei e aqui a publicação sobre Wotakoi!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *