Abstract

Recomendações de S. Valentim 2019: Wotaku ni Koi wa Muzukashii

Wotaku ni Koi wa Muzukashii (Wotakoi para os amigos) é das melhores comédias românticas que tive o prazer de conhecer nos últimos tempos. Quem me conhece sabe que eu fujo destas categorias como o diabo foge da cruz porque na maior parte acabo desapontada, mas esse não foi o caso com Wotakoi, e já explico porquê.

Wotakoi começou a ser publicado no Pixiv em 2014, passando a ser incluído na Comic Pool mensalmente um ano depois. No ano passado tivemos uma adaptação para anime incluindo os cinco primeiros volumes do mangá, tendo sido relativamente popular entre fãs do género mas também com o público geral.

Apesar de no fundo ser uma comédia romântica, Wotakoi tem uma série de pontos a seu favor que o distinguem dos outros elementos do seu género. Para começar, os protagonistas são adultos já no quadro laboral (sim, são relativamente jovens, nos seus vinte e tais, mas não estão no ensino secundário e isso para mim já é um começo), uma demografia que tem muito pouca representação no campo das comédias românticas em anime. Para além da idade dos protagonistas, outro desvio à norma é o facto das relações amorosas já estarem estabelecidas desde o início ou começarem nos primeiros capítulos/episódios. Isto deve-se em parte à personalidade das personagens, mas também ao foco na honestidade, confiança e comunicação, em vez de mal entendidos baratos e triângulos amorosos, como é habitual nestes géneros. Associado a isto, temos uma grande parte da premissa que se foca na forma como estas personagens (otaku de jogos, anime e cosplay) conciliam a sua vida de assalariado com os seus hobbies.

O romance em si é bastante realista. As ansiedades e inseguranças das personagens estão ligadas com aspetos como não serem o parceiro ideal (quer em termos de personalidade, quer de aparência), e não com fatores externos como triângulos amorosos; em parte devido às personagens serem adultas e terem uma dinâmica mais realista do que aquilo a que estamos habituados.

Sendo esta uma história sobre otaku, criada por um otaku (basta ver a quantidade de referências não óbvias/não utilizadas para comédia direta presentes no mangá, como paródia de painéis de JoJo por exemplo) para otaku, existe uma grande componente de humor referencial, contudo neste caso a sua utilização é bastante bem conseguida e relativamente realista, chegando ao ponto em que algumas das piadas que são trocadas entre as personagens são semelhantes às que eu própria utilizo com alguns grupos de amigos. .

Assim, recomendo Wotakoi a quem quiser passar um bom bocado com uma série de personagens carismáticas, mas relacionáveis, rir um pouco com o humor referencial e relaxar com um romance realista que apesar de não ser o foco da história durante a maior parte do tempo, é dos mais interessantes que já vi/li. Eu recomendo o mangá um pouco mais que o anime simplesmente pelo facto de que o timing de algumas piadas funcionam melhor no papel do que no ecrã e também pelo facto da animação nem sempre ser a melhor (chegando a níveis de personagens fora de modelo bastante perturbadores). Contudo o anime rearranja algum conteúdo extra do mangá e introdu-lo na história de forma bastante orgânica, resultando num pacing geral mais consistente… tendo isto em conta, a versão que preferirem consumir fica ao vosso critério.

Se não tiveste oportunidade de ver as outras recomendações para este dia de S. Valentim! Então vê aqui a publicação sobre Tsuki ga Kirei e sobre Watashitachi no Shiawase na Jikan.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *