Visita Guiada

Visita Guiada: Iberanime OPO 2019

No passado fim de semana de 12 e 13 de Outubro tivemos o regresso do Iberanime à Exponor em Matosinhos para mais dois dias de Para Para Dance, cosplay e em geral uma celebração do que é a cultura pop japonesa.

Após uma viagem de 4 horas desde Lisboa a Anihome chegou finalmente às portas da Exponor, mesmo a tempo da abertura. Já dentro do recinto fomos recebidos pela habitual música de fundo das aberturas dos animes do momento e a sensação de que, durante as próximas horas o resto do mundo não interessa, “agora é para aproveitar o evento”. 

Seguindo o corredor principal fomos sendo agraciados pelas inúmeras bancas de artistas que, pela sua localização, têm bastante mais visibilidade comparativamente com o evento em Lisboa, onde os artistas são frequentemente relegados para um canto, esquecidos. 

Passado uma hora (cosplayers sabem como é, e os acompanhantes é que sofrem) chegamos ao pavilhão principal e temos logo 3 panfletos publicitários diferentes enfiados na nossa mão dando um sabor agridoce ao primeiro olhar da zona principal. Nós sabemos que este tipo de evento sobrevive à base de parcerias mas não deixa de ser um pouco detrimental que haja um aglomerado destes à caça de público logo à entrada do pavilhão central. Vários “Não, obrigado.” Depois, temos as típicas bancas de merchandise com as zonas de videojogos na periferia, tornando-as muito menos intrusivas e que, a nosso ver, melhora a sua incorporação no evento.

Quando chegou a hora de almoço ficámos surpreendidos pela variedade de bancas de comida que este ano estavam presentes, trazendo além dos clássicos cup noodles, bubble tea, waffles, gelado, mas também comida mais tradicional como temaki, caril, onigiri e yakisoba com algumas opções vegan (algo que nestes eventos costuma ser um pouco escasso). De barriga cheia estávamos prontos a enfrentar o programa, que incluía concursos de AMV, JoJo pose e cosplay (individual e de grupo). Em relação aos anos anteriores, a localização destes acontecimentos foi bastante melhor, uma vez que foram deslocados para o auditório, resultando numa melhor experiência para a audiência que, por uma vez, conseguiu ver o que se passava em palco (cough cough Iber de Lisboa cough cough)

Tivemos uma primeira impressão um pouco desapontante,  com um concurso de AMV que pecou bastante pela falta de participantes. A somar, considerámos os comentários da organização sobre a falta de concorrentes desnecessários, tendo em consideração que houve muito menos apelo à participação quando comparado com anos anteriores. Felizmente os concursos seguintes estiveram melhor organizados com ênfase no concurso de JoJo pose que encheu o auditório como nunca antes visto.

Apesar das bancas dos artistas terem maior visibilidade na configuração atual do evento, as bancas culturais ainda passam muito despercebidas, delegadas para um canto do recinto de passagem não obrigatória. Intercalar algumas destas bancas com as dos artistas e vice versa seria uma boa ideia para dinamizar mais quer o espaço do evento, quer todas as bancas e que têm para oferecer.

No fim do dia o Iberanime mantém-se como um bom ponto de encontro para fãs de anime e jogos para passar um bom bocado com amigos. Para visitantes recorrentes, contudo, o evento peca um pouco pela falta de inovação ao longo do tempo, mantendo sempre um programa muito parecido a edições anteriores, muitas vezes repetindo convidados e temas de workshop.

Em baixo deixámos o resto das fotografias que tirámos durante o evento:

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *